A importância do desenvolvimento socioemocional na Educação Infantil

Como falar sobre sentimentos pode ajudar a reduzir o choque de gerações
1 de julho de 2021
3 hábitos para promover a proatividade #SELday
14 de setembro de 2021

Descubra a importância de incentivar a inteligência emocional e as habilidades socioemocionais entre crianças de até 6 anos de idade.

***

Nos primeiros anos de vida, o cérebro humano forma mais de 1 milhão de conexões neuronais por segundo, de acordo com estimativa do Center on the Developing Child, da Universidade Harvard. É uma fase única na vida, que começa na gestação e segue até por volta dos seis anos de idade. Nessa etapa, 90% do cérebro é formado, garantindo a base para o desenvolvimento futuro.

E não estamos falando apenas das conexões cerebrais responsáveis pela capacidade intelectual e raciocínio lógico. É na primeira infância também que acontece o desenvolvimento socioemocional, ou seja, quando uma pessoa começa a desenvolver suas habilidades sociais e emocionais.

Quando analisamos essa questão, precisamos ponderar que as crianças pequenas respondem e processam experiências emocionais e eventos traumáticos de maneiras muito diferentes dos adultos ou das crianças mais velhas.

Por isso, falar sobre desenvolvimento socioemocional na Educação Infantil requer favorecer espaços de fala e de escuta que permitam às crianças conhecer seus sentimentos e emoções, bem como aprender a reconhecê-los nas pessoas a sua volta.

Na prática, isso significa oferecer na proposta curricular atividades nas quais as crianças tenham oportunidades de desenvolver e usar sua inteligência emocional. O objetivo é que, ao ter esse pilar de desenvolvimento socioemocional para seus alunos, as escolas possam atentar para as crianças de forma integral, promovendo também habilidades como comunicação, colaboração, perseverança e pensamento críticos, dentre outras.

Infográfico sobre a importância do desenvolvimento socioemocional na educação infantil, com o LIV.

 

Desenvolvimento socioemocional com proposta lúdica

Sabendo a importância dessa temática na Educação Infantil, muitos questionam: como levar temáticas tão complexas para crianças que ainda nem completaram a fase de alfabetização? A chave dessa questão mora na escolha dos recursos didáticos.

Um exemplo concreto é o programa LIV, que atua junto às escolas para oferecer esse desenvolvimento socioemocional de forma intencional. Na proposta, cada etapa da vida do estudante é levada em consideração, iniciando na Educação Infantil, a partir dos 3 anos de idade, e prosseguindo até o Ensino Médio, por volta dos 16 anos. E, para cada faixa etária, uma linguagem distinta é utilizada, bem como recursos pedagógicos propícios para cada fase do desenvolvimento.

Para a Educação Infantil do LIV, os recursos didáticos se apoiam no lúdico e incluem histórias, personagens, fantoches e canções – elementos já conhecidos nessa etapa da vida escolar – que auxiliam os educadores a falar com os pequenos sobre temáticas como medo, alegria, raiva, amor, e tantas outras. Desse modo, crianças entre 3 e 5 anos de idade podem compreender e assimilar sentimentos, emoções e sensações..

A proposta é baseada em referências teóricas já conhecidas de muitos educadores, como os psicólogos Jean Piaget e Donald Winnicott, e também referências contemporâneas, como Paul Ekman, psicólogo americano pioneiro no estudo das emoções e expressões faciais, e conceitos como o da inteligência emocional e das múltiplas inteligências.

Nas aulas, as crianças são apresentadas a situações vividas em seu dia a dia por meio de histórias desenvolvidas pela autora Mirna Portella e ilustradas pelo premiado Laurent Cardon. Ao longo da leitura dos livros, a utilização de fantoches abrem um espaço de fala e escuta, deixando as crianças mais à vontade para compartilhar suas experiências.

Durante as atividades de LIV, músicas compostas pela cantora Maíra Martins enriquecem o repertório das crianças e conectam as emoções com os mais diversos ritmos musicais, por meio de canções, como: Valsa da Tristeza, Axé do Amor, Baião da Raiva, dentre outras. Desse modo, ao longo do período letivo, as crianças vão aprendendo mais sobre esses temas e conectando-os com suas vivências, tanto na escola quanto em casa.

 

LIV na Educação Infantil

 

 

Um convite às famílias 

Pesquisa feita pelo LIV em 2020 com mais de 1.700 participantes das cinco regiões do país mostrou que muitas famílias têm necessidade de falar sobre questões emocionais com as crianças e os adolescentes. Em geral, gostariam de ter espaço para falar sobre sentimentos, emoções, ansiedades e medos, porém, sentem dificuldade nessa abordagem.

Quando analisamos esses dados, fica evidente o quanto a parceria da família no processo de aprendizagem socioemocional dos alunos é relevante, especialmente em se tratando de crianças pequenas na Educação Infantil.

E é por conta dessa importância que no LIV a família é vista como um pilar da educação, juntamente com a escola e o próprio aluno. Em todas as escolas parceiras, as famílias  recebem material de apoio para falar sobre sentimentos com as crianças e, ao mesmo tempo, incentivar suas habilidades socioemocionais. Além disso, também são realizados encontros, palestras e reuniões com especialistas LIV para aprofundar nas temáticas da educação socioemocional.

 “Quando eu me tornei pai, eu sabia que falar de sentimentos era importante, mas não sabia qual era a maneira de realizar o diálogo com a criança sobre isso. Eu tinha conflitos que não sabia com quem conversar […]. O LIV vem e organiza isso, através de estudo, de ludicidade e de muita sensibilidade” – Lázaro Ramos, ator e pais de duas crianças alunas de LIV. Saiba mais em: E-BOOK: O Jeito LIV de desenvolver o socioemocional nas escolas!

Sentimentos on-line na Educação Infantil

Devido à situação pandêmica que temos vivenciado e que nos proporcionou o exercício de pensar e repensar novas formas de ensino e aprendizagem, a Educação Infantil também precisou se redescobrir para proporcionar o desenvolvimento socioemocional das crianças a distância.

Nesse sentido, muitas instituições de ensino passaram a oferecer novos recursos ou adaptar os já existentes para o novo ambiente. Nas aulas do programa LIV, por exemplo, o cenário de aprendizagem da Educação Infantil foi repensado com atividades em vídeos, jogos e ferramentas on-line que podem ser usadas no contexto das aulas remotas e também no cenário híbrido.

Esses são apenas alguns exemplos do que pode ser proporcionado na Educação Infantil para manter o desenvolvimento socioemocional das crianças, seja no ambiente presencial ou on-line. Para conhecer mais sobre o LIV e a educação socioemocional na comunidade escolar, baixe o e-book gratuito “O Jeito LIV de desenvolver o socioemocional nas escolas“!

***